Share This
/tabela-de-extracao-e-exportacao-dos-nutrientes-na-cultura-do-milho.jpg

Tabela de Extração e Exportação dos nutrientes na Cultura do MILHO

A busca por altas produtividades é uma demanda diária e crescente no meio agrícola brasileiro. Existem 52 fatores que interferem na planta e influenciam na produtividade (Tisdale et al, 1985). A nutrição é, sem dúvida, um dos principais fatores de produção de uma planta. Por isso, necessitamos proporcionar uma nutrição equilibrada e ajustada, levando em consideração a quantidade de nutrientes absorvidos pelo milho e o correto uso destas informações.

/milho-exportacao-extracao.jpg?v=2

A tabela acima representa a necessidade de nutrientes por tonelada de grão a ser produzida pela cultura do milho e contempla vários autores e genéticas utilizadas na época. Tendo em vista a mudança brutal na genética nacional da cultura e nas metas de produtividade, nos chama a atenção a necessidade de atualização destas tabelas. Este fato é bastante debatido em Congressos e Simpósios Nacionais, porém há pouca sensibilidade do governo e de órgãos de pesquisa nacional e ainda somos obrigados a utilizar as tabelas, mesmo sabendo da mudança genética atual.  

A média extraída dos nutrientes da tabela acima leva em consideração o elementoe não a forma óxida que trabalhamos no fertilizante. Desta forma, há necessidade de transformação dos nutrientes antes de utilizá-los na fórmula do cálculo, como segue:

/milho-tabela2.jpg?v=1

Os micronutrientes são calculados da mesma forma que constam nas tabelas, tanto no fertilizante, como no solo, consideramos o elemento.

Isto também se aplica ao Nitrogênio.


Baseado no cálculo da necessidade de adubação da planta, temos:

/milho-tabela3.jpg?v=1

Onde a exigência da planta está ligada com a meta de produtividade (toneladas/ha), espécie vegetal, material genético, pesquisas agronômicas e boletins regionais.

O nutriente fornecido  pelo sistemaleva em consideração o teor do nutriente no solo, de acordo com o Sistema de Manejo adotado (Plantio Convencional x Plantio Direto na Palha), onde o aumento da matéria orgânica dos solos advindos do Sistema de Plantio Direto na Palha com o passar dos anos, tende a melhorar a disponibilidade dos nutrientes nos solos.

Isto irá influenciar o fator de eficiência do nutriente (f), que leva em consideração o teor e a disponibilidade do nutriente no solo e será influenciado pelo pH do solo (Malavolta, 1997), pela disponibilidade de água nas primeiras camadas do solo ( 0 a 60 cm) e pela matéria orgânica dos solos.

De acordo com Malavolta (1997), a eficiência dos nutrientes varia de:

  • N ≅ 50% a 70%
  • P2O5 ≅ 30% (solos pobres) a 60% (solos férteis)
  • K2O ≅ 60% a 80% 
  • CaO ≅ 50%
  • MgO ≅ 50%
  • SO4-2 ≅ 50%
  • Zn ≅ 50%
  • B ≅ 50%
  • Cu ≅ 50%
  • Mn ≅ 50%
  • Mo ≅ 50%


Caso o nutriente no solo não esteja no Nível Crítico, utilizar no cálculo acima a soma da Exportação do elemento. Desta forma, incrementamos seu teor com o passar dos anos até atingir o nível adeguado no solo, trabalhando apenas com a manutenção da fertilidade, que será a reposição da quantidade exportada por tonelada da tabela acima. 

Lembrando que para os nutrientes lixiviáveis do solo, não devemos somar a exportação, visto que o incremento do seu teor é muito difícil (como exemplo, podemos citar: Nitrogênio, Enxofre e Boro).


Referências Bibliográficas

MALAVOLTA, E., VITTI, G.C., OLIVEIRA, S.A.  Avaliação do estado nutricional das plantas, princípios e aplicações. 2.ed. Piracicaba:POTAFOS, 1997. 319p.


Topics:
Soil_Fertility

 
Leia nossos AgroInfos >>

Resultados agronômicos Mosaic

agrisight
©2014-2015 Mosaic Fertilizantes do Brasil. Todos os direitos reservados.
The Mosaic Company