Potássio

O símbolo químico do potássio (K) representa um dos 17 nutrientes essenciais necessários para o crescimento e reprodução de um vegetal. Ele é classificado como um macronutriente, assim como o nitrogênio (N) e o fósforo (P). O potássio é definido como K2O e é utilizado para expressar o conteúdo de vários materiais fertilizantes contendo potássio, tais quais muriato de potássio (KCI), o sulfato de potássio (K2SO4), o di-sulfato de potássio e magnésio (K2SO4 2MgSO4), e o nitrato de potássio (KNO3).

O Potássio em Plantas

O potássio é essencial em quase todos os processos necessários para sustentar o crescimento de uma planta e sua reprodução. Plantas com deficiência em potássio são menos resistentes às estiagens, ao excesso de água e a elevadas e baixas temperaturas. Elas são também menos resistentes a pestes, enfermidades e ataques de nematoides. Uma vez que o potássio aprimora a saúde de crescimento da planta como um todo e auxilia-lhes a combater doenças, ele é conhecido como o nutriente da "qualidade". O potássio afeta fatores de qualidade tais como o tamanho, a forma, a coloração e o vigor da semente ou grão, além de aprimorar a qualidade da fibra do algodão.

O potássio eleva a produtividade das lavouras porque:

  • Eleva o crescimento das raízes e aprimora a tolerância à seca
  • Constrói celulose e reduz a acomodação
  • Ativa pelo menos 60 enzimas relacionadas ao crescimento
  • Auxilia na fotossíntese e na formação de alimento
  • Auxilia no deslocamento de açúcares e amidos
  • Produz grãos ricos em amido
  • Eleva o conteúdo proteico das plantas
  • Mantém a turgidez, reduz a perda de água e o murchamento
  • Auxilia a retardar a disseminação de doenças da lavoura e nematoides.

Captação de Potássio pelas Lavouras

O tempo de captação de potássio varia entre diferentes plantas. No entanto, as plantas geralmente absorvem a maior parte de seu potássio em um estágio mais inicial de crescimento do que o fazem com o nitrogênio e o fósforo.

Experimentos sobre a captação de potássio pelo milho mostraram que de 70 a 80% foi absorvido no intervalo de florescimento, e 100% foi absorvido de três a quatro semanas após o florescimento. O deslocamento de potássio das folhas e dos caules até o grão foi bem menor que o de fósforo e nitrogênio. O período durante a formação do grão não é aparentemente algo crítico para o fornecimento de potássio.

Lavoura Produtividade Captação (K2O)
Alfafa 10 lb/ton 600 lb/acre
Milho 200 bu/acre 266 lb/acre
Algodão 1,500 lb/acre 210 lb/acre
Grão de Sorgo 800 lb/acre 240 lb/acre
Amendoim 4,000 lb/acre 185 lb/acre
Grãos de Soja 60 bu/acre 205 lb/acre
Trigo 80 bu/acre 162 lb/acre
Source: IPNI
Note: Potassium content of fertilizers is expressed as K2O, although there is no such compound in fertilizers, nor is it absorbed by or found in the plant in that form. Soil and plant tissue analysis values are usually expressed in terms of percent potassium (K), but fertilizer recommendations are expressed as K2O. To convert from K to K2O, multiply K2O by 0.83. To convert from K2O to K, multiply K2O by a factor of 1.20.
Lavoura Remoção (K2O)
Alfafa 49.0 lb/ton
Grão de milho 0.25 lb/bu
Ensilagem de milho 7.30 lb/ton
Algodão (fibra) 19.0 lb/bale
Grão de sorgo 0.27 lb/bu
Amendoins (castanha) 17.0 lb/ton
Grão de arroz 0.16 lb/bu
Grão de soja 1.18 lb/bu
Cana de açúcar 3.50 lb/ton
Festuca (DM) 54.0 lb/ton
Grão de trigo da primavera 0.33 lb/bu
Grão de trigo do inverno 0.29 lb/bu
Source: IPNI

Remoção de Potássio pelas Lavouras

A captação ou utilização de nutrientes é uma importante consideração, mas as lavouras mantêm bem mais potássio do que removem com a porção colhida. Por exemplo, uma colheita de 200 bu/acre de milho mantém ou utiliza cerca de 266 lb/acre de potássio. Mas quando o milho é colhido como grão, apenas 0.25 lb/bu é removido, ou 50 lb/acre de K2O é colhido e removido do campo. No entanto, caso a lavoura tenha sido colhida em ensilagem, então 7.3 lb/ton de K2O são transferidos e removidos do campo. Assim, uma colheita por ensilagem de 32-ton/acre removeria 234 lb/acre de K2O. O gerenciamento da colheita é a principal consideração no desenvolvimento de um programa de fertilização de potássio. Lavouras colhidas, nas quais toda a planta é removida do campo, como o feno de alfafa, deve possuir mais potássio aplicado do que as lavouras onde apenas o grão, a fibra ou o fruto são removidos. Normalmente, com colheitas de fibras e ensilagem, a remoção é uma excelente guia para o planejamento de um programa de fertilização por potássio. Com outras colheitas, como o grão, testes de solo oferecem a melhor direção.

Sintomas da Deficiência em Potássio

O potássio é um elemento bastante móvel na planta e é deslocado dos tecidos mais velhos para os mais jovens. Consequentemente, os sintomas da deficiência em potássio normalmente ocorrem primeiro nas folhas inferiores e progressivamente avançam rumo ao topo, conforme a gravidade da deficiência se incrementa. Um dos sinais mais comuns da deficiência em potássio é o amarelo tórrido, ou abrasador (clorose), ao longo das margens da folha. Em casos drásticos, a margem queimada da folha pode se desprender. No entanto, em lavouras com folhas largas, como nas de soja e algodão, toda a folha pode cair, resultando em uma defoliação prematura da lavoura.

Lavouras com deficiência de potássio crescem lentamente e possuem sistemas de raízes desenvolvidos precariamente. Os caules são fracos e o armazenamento de cereais das lavouras, tais quais milho e pequenos grãos, é comum. Leguminosas não são grandes competidoras pelo potássio do solo e são normalmente infestadas por gramíneas em um pasto de leguminosas e gramíneas. Quando o potássio não é suficiente, a morte de lavouras perenes durante o inverno, como a alfafa e as gramíneas, pode ocorrer.

Para mais informações a respeito de deficiência de potássio, clique aqui.

Potássio no solo

Potássio relativamente indisponível

De 90 a 98% do total de potássio presente nos solos é encontrado em minerais primários insolúveis que são resistentes às quebras químicas. Eles liberam potássio lentamente, mas em pequenas quantidades se comparadas às necessidades de crescimento da lavoura.

Potássio disponível com lentidão

Essa forma constitui de 1–10% da oferta total de potássio e pode se originar de minerais primários dissolvidos ou de fertilizantes à base de potássio. Esse potássio é atraído à superfície por minerais argilosos, onde ele se encontra firmemente ligado ou fixado entre camadas de argila, em uma forma pouco disponível para plantas. O montante atual disponível varia no tipo e na quantidade de argila presente.

Potássio prontamente disponível

Formas prontamente disponíveis de potássio constituem apenas de 0.1 a 2% do total de potássio presente no solo, e consiste de potássio dissolvido na solução do solo e mantido no intercâmbio de posições da argila e da matéria orgânica. Esse potássio é "intercambiável" porque pode ser substituído por outros íons de carga positiva (cátions), tais quais o hidrogênio, o cálcio e o magnésio. Esse intercâmbio ocorre com rapidez e frequência. O potássio na solução do solo pode ser retido pela planta ou perdido pelo solo pela lixiviação, especialmente em solos arenosos, de textura áspera.

O potássio e a nutrição balanceada da lavoura

Uma oferta adequada de outros nutrientes vegetais é necessária para se obter respostas máximas do fertilizante de potássio; no entanto, há várias relações singulares entre o potássio e outros nutrientes.

Uma elevada fertilização com potássio pode reduzir a disponibilidade de magnésio para a planta, e isso pode resultar em uma deficiência de magnésio em lavouras cultivadas em solos que já possuem pouco magnésio. Esse problema é normalmente encontrado com lavouras cultivadas em solos arenosos, particularmente nos solos das planícies da costa do sudeste dos Estados Unidos. Por outro lado, lavouras cultivadas em solos com elevada concentração de magnésio podem sofrer de deficiência de potássio, especialmente se os solos são ricos em fósforo e carentes de potássio. Esse problema é especialmente grave nos solos da planície de alagamento do Rio Mississippi.

O lixiviamento de potássio em solos ácidos e arenosos pode ser reduzido pela limitação do solo a um pH de 6.2 a 6.5; no entanto, as aplicações de elevadas taxas de calcário em um solo com pouco potássio pode induzir uma deficiência de potássio nas lavouras cultivadas sobre esses solos. Esse problema ocorre mais em solos com predominância da argila de tipo 2:1 (como as argilas montemorilonite) em lugar do tipo 1:1 (como as argilas caulinita).

Percent of soil samples that tested below critical levels for K for major crops in 2010.
Source: IPNI

Posicionamento de fertilizantes de potássio

Posicionamento

Os fertilizantes comuns de potássio são completamente solúveis em água e, em alguns casos, possuem uma elevada concentração de sais. Assim, se posicionados muito próximo de sementes ou transplantes, eles podem reduzir a germinação e a sobrevivência da planta. Esse dano provocado por fertilizantes é mais severo em solos arenosos, sob condições secas e com elevadas taxas de fertilizantes — especialmente o nitrogênio e o potássio. Algumas lavouras como a soja, o algodão e o amendoim são muito mais sensíveis aos danos de fertilizantes do que o milho. O posicionamento do fertilizante em uma banda de aproximadamente 3 polegadas na lateral e 2 polegadas abaixo da semente é um método eficiente de prevenir danos causados pelo fertilizante. O posicionamento da banda de fertilizante de potássio é geralmente mais eficiente do que a aplicação disseminada, quando a taxa de aplicação é menor em solos com pouco potássio.

Disseminação

A aplicação por disseminação de potássio em lavouras mínimas resulta em boa parte do potássio aplicado permanecendo no topo de 1 ou 2 polegadas do solo; do contrário, com a plantação convencional, ela se distribui ao longo da camada de aragem. O milho normalmente absorve potássio suficiente em plantio direto devido ao seu sistema extensivo de raízes na camada superficial do solo. Análises de folhas de milho revelam que há menor conteúdo de potássio sob mínimo cultivo do que sob cultivo convencional, devido tanto à localização do potássio aplicado quanto à aeragem deficiente. Potássio suficiente pode ser fornecido pelo uso de uma quantidade maior de fertilizantes de potássio em sistemas de plantio direto.

Fertilizantes de potássio

Potássio elementar (K) não é encontrado em estado puro na natureza por conta de sua elevada reatividade. Ele pode ser purificado, mas deve ser mantido em óleo para manter sua pureza e evitar uma violenta reatividade. Depósitos de potássio são encontrados nas camadas de sais sólidos abaixo da crosta terrestre e nas salmouras de lagos e mares mortos.

Diversos materiais de fertilização por potássio e seu conteúdo percentual de nutrientes
Material Fórmula Química N P2O5 K2O S MG
Cloreto de potássio KCl 60-62
Sulfato de Potássio K2SO4 50-52 18
Sulfato de Potássio Magnésio K2SO42MgSO4 22 22 11
Nitrato de Potássio KNO3 13 44
Nitrato de Potássio Sódio KNa(NO3)2 15 14
Hidróxido de Potássio KOH 83
Carbonato de Potássio K2CO3KHCO3 <68
Ortofosfato de Potássio KH2PO4K2HPO4 30-60 30-50
Polifosfato de Potássio K4P2O7 40-60 22-48
Metafosfato de Potássio KPO3 55-57 38
Leia nossos AgroInfos >>

Resultados agronômicos Mosaic

agrisight
©2014-2015 Mosaic Fertilizantes do Brasil. Todos os direitos reservados.
The Mosaic Company